Investidor - Controle das Finanças Pessoais
Organizador GEDAF Nenhum comentário

Investimentos demandam maior controle das finanças pessoais. Muitas pessoas desejam ser investidores(as), mas enfrentam limitações para escolher as opções mais adequadas.

Atualmente, há grande disponibilidade de dicas de investimentos em sites, redes sociais e canais de vídeos. Contudo, a qualidade dessas informações é bastante desigual e nem sempre confiável.

A educação financeira auxilia a preencher as lacunas e corrige as distorções.

Tenha propósitos definidos

Quem investe precisa ter clareza de propósito sobre os objetivos a alcançar em determinado período da vida. Investir sem compromisso é semelhante a comer por gula ou comprar coisas sem necessidade, apenas por consumismo ou vaidade.

É muito importante acompanhar com frequência a evolução dos investimentos realizados. Há pessoas que simplesmente investem e esquecem, perdendo oportunidades de lucro em momentos de alta do mercado ou acumulando prejuízos por longos períodos.

Dica 1: Reserve tempo para cuidar do seu dinheiro investido, busque extrair mais informações junto aos bancos e corretoras.

Conheça os riscos dos ativos

Em Finanças não existe certo ou errado, há basicamente boas e más escolhas em função das circunstâncias pessoais e da conjuntura econômica. E, geralmente, quanto maior o retorno do investimento tanto maior será o risco de perdas.

Procure entender os riscos envolvidos e verifique se está disposto a aceitar perdas por desvalorização dos ativos selecionados. Analise também prazos de liquidação, impostos e outros aspectos que vão impactar o resultado final.

Ainda não inventaram bola de cristal ou Inteligência Artificial capazes de prever oscilações bruscas de valores dos ativos financeiros. Basta constatar que, antes de 2020, nenhum analista renomado previu a pandemia do Coronavírus e seus efeitos nos mercados.

É fato que analistas deixam de recomendar bons ativos e priorizam outros que pouco ou nada valorizam. Nesses casos existe o viés de preferência por ativos com os quais eles estão mais habituados a negociar.

Influenciadores sem certificação financeira atraem pessoas leigas para treinamentos com promessas de ganhos elevados. Contudo, eles nada perdem se errarem, pois não é o dinheiro deles que será aplicado. Logo, o risco será seu!

Você pode se tornar o patinho do mercado caso os ativos recomendados desvalorizem ou tenham retorno insignificante.

A Comissão de Valores Mobiliários – CVM, órgão regulador e fiscalizador da bolsa no Brasil, está mais vigilante em relação às promessas enganosas de ganhos irreais.

De qualquer forma, cuidado com a sedução exacerbada por notícias ou recomendações de compra com ganhos exponenciais. Não faça experimentos com seu dinheiro!

Dica 2: Desenvolva senso crítico sobre recomendações para aquisição de ativos. Em regra, não compre ativos que você não entenda a lógica de mercado e restrições de compra e venda.

Seja excelente gestor das suas finanças

Invista somente a quantia que sobrar após pagar suas contas. Jamais se endivide ou comprometa seu orçamento para fazer investimentos.

Evidentemente, se você não tem orçamento elaborado, terá maior dificuldade de fixar quanto poderá investir e a disponibilidade atual.

Deming, fundador da moderna Qualidade Total, proferiu a mais poderosa sentença sobre a importância dos dados para tomar decisões:

“Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende, e não há sucesso no que não se gerencia”

William Eduards Deming  (1900-1990, EUA)

Você precisa ter dados registrados para gerenciar suas finanças! Esses dados são basicamente sequências de transações monetárias que se repetem com regularidade. Conheça o histórico de operações e desenvolva seu planejamento.

Dica 3: Verifique seu orçamento, analise suas receitas e despesas. Monitore o fluxo de caixa, entradas e saídas de valores, e a evolução do seu saldo em contas.

Solidez das finanças pessoais

É essencial que suas finanças tenham base sólida, semelhante às fundações de arranha-céus. Essas grandes estruturas são projetadas para suportar tempestades de grande intensidade e abalos sísmicos. As fundações têm a finalidade de transferir esforços atuantes na estrutura e distribuí-los no solo.

Reflita sobre as seguintes questões:

  • Você tem sido bom gestor do seu dinheiro?
  • Está endividado ou comprometeu boa parte da sua renda com gastos supérfluos ou desnecessários?
  • Qual a sua cobertura média das despesas, geração de renda passiva e acúmulo de reservas para emergências?

Para responder de forma assertiva, você precisa analisar os números do seu orçamento. Várias ferramentas podem auxiliar você a planejar e controlar suas finanças pessoais. As soluções usuais envolvem anotações em cadernos ou meios tecnológicos – programas e aplicativos de celular.

O aplicativo Sistema Newton de Gestão Financeira Pessoal 2021 permite fazer lançamentos e consultas por categorias de receita e despesa. Calcula o fluxo de caixa e os indicadores de desempenho das finanças por titular, mostrando em painéis e gráficos interativos.

Saiba mais sobre o Sistema Newton 2021clique aqui.

Dica 4: Desenvolva o hábito de registrar com regularidade suas receitas e despesas. Escolha boas ferramentas para facilitar esse controle.

Considerações finais

Este artigo apresentou algumas orientações gerais sobre investimentos, compatibilizando propósitos e finanças pessoais bem estruturadas.

Planejamento e controle do orçamento são a chave da construção de finanças sólidas, permitindo melhorar a capacidade de investimento.

Assuma o controle das suas finanças para tomar boas decisões de investimento.


Editorial GEDAF, 2020, elaborado por Rone Antônio de Azevedo, especialista em finanças com registro profissional.

Deixe um comentário